Frísia recebe prêmio reconhecido pela ONU

Agronegócio

06 de setembro de 2019 09:54

Fernando Rogala


Relacionadas

Cooperjovem Frísia reúne mais de mil estudantes

Safra de trigo será a maior dos últimos três anos

Frísia é a 19ª maior organização do Paraná

Paraná prorroga prazo para o plantio da soja
Capal sobe posições entre as 100 Maiores do Paraná
Produtor que não cumprir com normas terá leite descartado
Produtor precisa atualizar o cadastro de todos os animais
Diego Takeshi Miyasaka, engenheiro ambiental da Frísia, recebeu a Menção Honrosa do Sesi ODS Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Pelas práticas sustentáveis, iniciativa visa a separação, coleta e entrega de resíduos veterinários para o correto tratamento; produtores rurais reuniram cerca de 24 toneladas do material

O trabalho de logística reversa realizado pelos cooperados da Frísia rendeu a Menção Honrosa do Sesi ODS, premiação-destaque entregue pelo Serviço Social da Indústria em favor dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Em 2018, período referente à inscrição do programa da cooperativa, foram coletadas 24,4 toneladas de resíduos. A entrega da homenagem, que inclui o selo ODS, será no dia 5 de setembro na sede da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), em Curitiba.

Considerado um dos melhores projetos em prol da sustentabilidade no Paraná, o programa Coleta Legal acontece desde 2014 junto aos associados com a coordenação do setor Ambiental e Florestal da Frísia. Nas propriedades, os 211 produtores participantes são orientados a fazer a correta separação dos materiais veterinários (tanto da bovinocultura leiteira quanto da suinocultura) até a destinação desses resíduos (alocados em bombonas) para uma empresa especializada em fazer o tratamento.

O engenheiro ambiental da Frísia, Diego Takeshi Miyasaka, explica que o programa Coleta Legal acontece três vezes no ano (março, julho e novembro). “Nós agendamos uma data e divulgamos aos cooperados. Nesse dia, passamos com um caminhão em locais e horários pré-determinados, normalmente nas lojas agropecuárias da Frísia, onde os cooperados entregam seus resíduos em bombonas”, afirma Miyasaka. Os produtores entregam bombonas cheias de frascos de medicamentos vazios, e levam as bombonas vazias para colocarem os frascos que irão gerar nos próximos meses.

O cooperado Wilant van den Boogaard é suinocultor e tem 220 matrizes em sua propriedade em Carambeí (PR). Participante do programa Coleta Legal desde o início, Boogaard leva de três a quatro bombonas por entrega, com resíduos variados, entre eles embalagens de medicamentos veterinários, pipetas de inseminação, e outros.

“Com o programa, acabou o problema sobre o que fazer com os resíduos. Antes, não tínhamos destinação correta, pois não é lixo urbano. Mas, com o Coleta Legal, temos local apropriado para descarte”, destaca o cooperado. “Esse é um trabalho que a gente deve estender aos nossos técnicos, que se empenham em organizar tudo e fazer com que tenhamos a consciência de que esse é um trabalho necessário”, reforça.

O produtor rural destaca a importância do reconhecimento da Fiep e do Sesi. “É algo gratificante, como cooperativa, como produtor. Todos nós estamos preocupados com o trabalho na propriedade e com o bem-estar ambiental”, destaca.


Agenda 30

A premiação, que é oferecida pela Fiep e Sesi no Paraná, reconhece os melhores projetos em diversos setores da sociedade que contribuem para o alcance dos objetivos e metas da Agenda 30 para o Desenvolvimento Sustentável no Brasil.

A Agenda 30 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável faz parte de um protocolo assinado em 2015, por 193 países, durante a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Na ocasião, o Brasil assumiu o compromisso de adotar metas de desenvolvimento sustentável a serem alcançadas até 2030.

Informações da assessoria de imprensa

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede