Paraná registra 117 mortes por gripe neste ano

Cotidiano

03 de outubro de 2019 10:17

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

UFPR confirma 17 casos de sarampo entre estudantes

Bolsonaro anuncia 13° a beneficiários do Bolsa Família

Sobrevivente de desabamento faz 'selfie' preso nos escombros

Veja o momento que prédio desaba em Fortaleza
Grupo irá discutir pautas prioritárias para a PM do Paraná
Governo e Fiesp firmam acordo para capacitação de detentos
5 hábitos saudáveis para adotar no ambiente de trabalho
Dos novos óbitos confirmados, quatro são de pessoas com mais de 60 anos; um caso é de uma pessoa de 52 anos e outro de um paciente de 32. Foto: Reprodução Agência Brasil
PUBLICIDADE

O informe publicado nesta quarta-feira (02) pela secretaria estadual da Saúde confirma mais seis mortes, quatro delas de pessoas com mais de 60 anos.

O Informe sobre a Influenza divulgado nesta quarta-feira (02) pela Secretaria de Estado da Saúde contabiliza 117 óbitos por gripe no Estado desde o início do ano até está terça, 1º de outubro. Mais seis mortes foram confirmadas nos últimos 15 dias, registradas em Francisco Beltrão, Curitiba, Foz do Iguaçu, Contenda, Londrina e Marmeleiro.

Dos novos óbitos confirmados, quatro são de pessoas com mais de 60 anos; um caso é de uma pessoa de 52 anos e outro de um paciente de 32.

De acordo com a secretaria estadual, a idade é um fator de risco para a gripe e as pessoas com mais de 60 anos devem ter cuidado redobrado – 53% dos casos ocorreram nesse público. A segunda faixa etária com mais casos é a de 50 a 59 anos, representando 17,1% dos casos.

O boletim quinzenal da Influenza totaliza 614 casos da doença. Apresenta ainda 1.504 casos provocados por outros agentes respiratórios e mais 2.348 de síndromes respiratórias não identificadas.

“Os números reforçam a importância da prevenção da gripe. Adotar as medidas preventivas e incorporá-las como hábitos diários ajuda na proteção contra a Influenza.”, afirma o chefe da Divisão de Vigilância das Doenças Transmissíveis, Renato Lopes.

“São medidas simples como higienizar as mãos, principalmente antes de levar algum alimento à boca, cobrir nariz e boca com a dobra do braço quando espirrar e tossir, não compartilhar objetos de uso pessoal, como copos e talheres, e manter os ambientes sempre bem ventilados”, orienta Lopes.

Segundo ele, estes cuidados devem seguir em todas as estações do ano. Agora, por exemplo, no início da primavera, as doenças respiratórias são comuns em função da mudança de temperatura e do pólen das flores.

INFLUENZA

 A Influenza é uma infecção respiratória aguda e os sintomas mais comuns são o aparecimento súbito de calafrios, mal-estar, coriza, tosse seca e dores de cabeça, de garganta e no corpo. Podem ainda surgir outros sintomas como diarreia, vômito, fadiga, rouquidão e vermelhidão nos olhos.

A Secretaria de Estado da Saúde orienta também que é necessário buscar atendimento médico, em caso de agravamento dos sintomas, para diagnóstico clínico e tratamento com o antiviral específico. A secretaria disponibiliza o medicamento nas unidades de saúde, mediante receita médica.

 Informações: Agência Estadual

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede