Pandemia reduz renda mundial obtida com trabalho, diz OIT

Cotidiano

23 de setembro de 2020 11:20

Agência Brasil


Relacionadas

Projeto realiza festa para menino com doença rara

Brasil confirma mais 461 mortes por covid neste sábado

Confira a agenda dos prefeituráveis deste domingo

Sinepe PR comemora o Dia do Professor com live
Boletim confirma 811 novos casos de Covid no Paraná
Estado defende ponte no litoral após vazamento de óleo
Pais devem assinar termo para aderir ao retorno das aulas
A OIT informou que o declínio no número de empregos foi geralmente maior para as mulheres do que para os homens. Foto: Reprodução/Agência Brasil
PUBLICIDADE

Informação está no 6º relatório da OIT sobre efeitos da covid-19 

A renda mundial obtida com o trabalho caiu cerca de 10,7% - ou US$ 3,5 trilhões - nos primeiros nove meses de 2020 em relação ao mesmo período do ano anterior, disse a Organização Internacional do Trabalho (OIT) nesta quarta-feira (23).

Essa leitura, que não inclui o auxílio à renda fornecido pelos governos para compensar o fechamento de locais de trabalho durante a pandemia, é o equivalente a 5,5% do Produto Interno Bruto (PIB) global para os três primeiros trimestres de 2019,  acrescentou a instituição.

"O fechamento de locais de trabalho continua a perturbar os mercados em todo o mundo, levando a perdas de horas de trabalho maiores do que as estimadas anteriormente", disse a OIT em seu sexto relatório sobre os efeitos da pandemia no mundo laboral.

Trabalhadores em economias em desenvolvimento e emergentes, especialmente aqueles com empregos informais, foram afetados em uma extensão muito maior do que em crises anteriores, disse a agência da Organização das Nações Unidas. A OIT informou que o declínio no número de empregos foi geralmente maior para as mulheres do que para os homens.

"Assim como precisamos redobrar nossos esforços para combater o vírus, também precisamos agir com urgência e em escala para superar seus impactos econômicos, sociais e de emprego. Isso inclui apoio sustentado para postos de trabalho, empresas e renda", disse o diretor-geral da OIT, Guy Ryder, em comunicado.

PUBLICIDADE

Recomendados