Polícia prende criminosos que criavam sites falsos

Cotidiano

27 de novembro de 2020 15:00

Agência Estadual de Notícias


Relacionadas

Crea critica resolução e vê risco no direito urbanístico

Índia libera a exportação de vacinas ao Brasil

Município do Paraná busca a Indicação Geográfica

Brasil registra 7.564.622 milhões de curados da Covid-19
Plano de Forças-Tarefas quer reduzir índices de violência
Inscrições para o Encceja terminam nesta sexta-feira
Ação combate pesca predatória e desmatamento no Paraná
A PCPR estima que mais de mil pessoas, de diversos lugares do país, já tenham sido vítimas Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

A PCPR estima que mais de mil pessoas, de diversos lugares do país, já tenham sido vítimas

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu sete pessoas em operação contra empresários suspeitos de criar sites falsos para venda de eletroeletrônicos, desde banheiras jacuzzi até televisores de R$ 70 mil. As prisões ocorreram na manhã desta sexta-feira (27), em Curitiba. A PCPR estima que mais de mil pessoas, de diversos lugares do país, já tenham sido vítimas dos criminosos. 

Os policiais cumpriram três mandados de prisão temporária, dois de busca e apreensão e quatro bloqueios de contas bancárias. Quatro pessoas foram presas em flagrante durante a ação. Também foram apreendidos notebooks, celulares, máquinas de cartão, documentos e cartões de crédito. 

O grupo vai responder pelos crimes de estelionato tentado e consumados, associação criminosa, lavagem de dinheiro e falsificação de documentos particulares.


Investigação

A PCPR apurou que os indivíduos estavam planejando um novo site para aplicar golpes na última sexta-feira do mês de novembro, a Black Friday, dia popular para realizar compras com desconto.

O trio estaria se dividindo para atender clientes por meio de chats, aplicativo de mensagens e e-mail. Além disso, estariam simulando envio de mercadorias em nome de uma transportadora conhecida através de um site possivelmente clonado. 


Vítimas

Durante as diligências, a PCPR encontrou ainda mais de 200 reclamações registradas por vítimas sobre os sites em que os criminosos operavam. As reivindicações foram encontradas em uma rede própria para esse tipo de assunto. 

Até o momento, 50 vítimas foram ouvidas na delegacia especializada da PCPR. Com a divulgação desta operação, espera-se que outras compareçam até a unidade.

PUBLICIDADE

Recomendados