PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Campanha com novo lote de vacinas deve começar na 2ª

Cotidiano

24 de janeiro de 2021 11:01

Agência Estadual de Notícias


Relacionadas

Humorista da “Praça É Nossa” morre de covid-19

Brasil registra 105 mil denúncias de violência contra a mulher

Klabin doa mais 15 respiradores com monitores ao Paraná

Câmara dos Deputados vota esta semana a PEC Emergencial
Bomba caseira é deixada em frente a afiliada da Globo
Sebrae promove evento sobre empreendedorismo feminino
Alep retoma sessões plenárias amanhã com novas restrições
Vacinação em todo o Paraná deve começar nesta segunda, quando todas as cidades receberem o imunizante Foto: Divulgação/AEN
PUBLICIDADE

Caminhões e aviões do Governo do Estado começaram, na manhã deste domingo (24), a entrega das 86,5 mil doses para as 22 Regionais de Saúde do Estado

Caminhões e aeronaves carregando milhares de doses da vacina contra a covid-19 e a esperança dos paranaenses saíram da Central de Medicamentos do Paraná (Cemepar) e do Aeroporto do Bacacheri, ambos em Curitiba, na manhã deste domingo (24). A estimativa do Governo do Estado é que todas as 86.500 doses sejam distribuídas em menos de 12 horas, estimando o início da vacinação nos municípios para as 8h desta segunda-feira (25).

Os lotes com o imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford em parceria com o Laboratório AstraZeneca partiram em direção às 22 regionais de saúde do Paraná. “A vacina chegou no sábado à noite e no domingo pela manhã já a estamos distribuindo. Queremos que as doses cheguem com a maior brevidade possível aos paranaenses e que nesta segunda as salas de vacinação dos municípios estejam preparadas para começar a aplicação”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Ele reforçou que a logística desta remessa é consideravelmente mais rápida do que a realizada na entrega do primeiro lote, formado pelo imunizante CoronaVac, na semana passada. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o processo de distribuição das 132.771 doses para todas as 22 Regionais de Saúde levou pouco mais de 24 horas na oportunidade.

“Estamos intensificando o trabalho. Além de ser número menor de imunizantes, o volume desta vez também é menor, já que um frasco de AstraZeneca carrega dez doses", disse o secretário.

Beto Preto voltou a ressaltar que o novo lote de vacinas deve priorizar a proteção dos profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate à pandemia, seguindo a orientação do Plano Nacional de Imunização (PNI) e do Plano Estadual de Vacinação (PEV).

Ele lembrou também que a secretaria vai intensificar os processos de orientação e fiscalização para que não haja problema em relação à ordem de distribuição da vacina. “Estamos atentos para que no Paraná não existam fura-filas, como infelizmente estamos vendo em outros estados”, afirmou Beto Preto.

Terceiro lote

O secretário disse ainda que o processo de vacinação ganhará ainda mais agilidade nos próximos dias. Segundo ele, está programado pelo Ministério da Saúde a divisão de outras 900 mil doses de CoronaVac entre todos os estados do País e o Distrito Federal ainda nesta semana. A estimativa, afirmou o secretário, é que aproximadamente 40 mil doses sejam encaminhadas para o Paraná.

“Outras 3,9 milhões de doses imunizantes, também desenvolvidas pelo laboratório chinês Sinovac, devem chegar até o fim do mês”, afirmou. “Queremos que o fluxo seja contínuo, sem interrupções”.

O lote integra as 4,8 milhões de doses emergenciais autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na sexta-feira (22). No total, confirmado os números da terceira remessa, o Paraná vai contabilizar cerca de 600 mil doses. “Dá para garantir a vacinação dos mais de 272 mil profissionais da saúde que temos no Paraná”, destacou Beto Preto.

Por terra e pelo ar

Dois aviões do Governo do Estado saíram às 7h45 do Aeroporto do Bacacheri com destino a 15 regionais do interior. Outras sete (Litoral, Metropolitana, Ponta Grossa, União da Vitória, Irati, Guarapuava e Telêmaco Borba) retiraram no próprio Cemepar.

A remessa com pouco mais de 86 mil doses é a parte que cabe ao Paraná dos 2 milhões de imunizantes importadas do Instituto Serum, um dos centros da AstraZeneca para a produção da vacina na Índia. Ela vai ampliar o alcance da proteção ao chamado grupo prioritário, formado por profissionais de saúde, pessoas em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI), pessoas com deficiência severa e indígenas. A definição de prioridade segue o Programa Nacional de Imunização, do Governo Federal.

As vacinas

A diferença entre as vacinas CoronaVac e AstraZeneca, explicou Beto Preto, se dá em relação ao prazo de aplicação entre uma dose e outra, já que ambas preveem duas imunizações.

Enquanto a CoronaVac necessita de três semanas, a vacina de Oxford pede espaço de quatro meses. Assim, o primeiro lote, formado pelo imunizante da Sinovac, foi dividido em duas partes iguais, garantindo as duas doses para quem for receber.

No caso da AstraZeneca será usada todas as vacinas para pessoas diferentes, já que estão previstas a chegada de novas remessas ao Paraná neste intervalo de 120 dias. Ou seja, considerando a taxa de 5% de descarte, mais de 80 mil paranaenses receberão a primeira dose agora.

O armazenamento de todos os imunizantes está sendo feito no  Cemepar, que conta com ampla estrutura de freezers e câmaras frias, além de questões de segurança.

Plano

Segundo o Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19, que segue a mesma linha do Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde, na primeira etapa da vacinação serão imunizados profissionais da saúde que aplicarão as vacinas, pessoas com mais de 60 anos que residem em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) e os profissionais que atuam nos locais,  população indígena, pessoas com deficiência severa e trabalhadores que atuam em unidades de saúde que atendem pacientes com suspeita ou confirmação da infecção pelo novo coronavírus.

A definição de grupos prioritários seguiu critérios do Ministério da Saúde, como tempo de contato (ou exposição) com os pacientes infectados pela Covid-19 e pessoas com maior risco de complicações pela infecção causada pelo Sars-CoV-2.

Na sequência, o Estado planeja vacinar pessoas com 80 anos ou acima desta idade, pessoas entre 75 e 79 anos e assim sucessivamente, até aqueles que têm idade variando entre 60 e 64 anos. Com a quantidade de doses disponibilizadas, seguindo a ordenação por grupos prioritários, a previsão é vacinar o total de 4.019.115 pessoas até maio de 2021. A vacinação ocorrerá de acordo com o recebimento dos imunizantes, de forma gradual e escalonada.

O Paraná tem 1.850 salas de vacinação nos 399 municípios. A quantidade de locais varia em cada cidade de acordo com o tamanho da população. Os municípios são responsáveis pela gestão dos profissionais para aplicação das doses da vacina.

Doses da vacina da AstraZeneca para cada Regional de Saúde:

  • 1ª RS – Paranaguá – 1.730
  • 2ª RS – Metropolitana – 28.530
  • 3ª RS – Ponta Grossa – 4.090
  • 4ª RS – Irati – 920
  • 5ª RS – Guarapuava – 2.610
  • 6ª RS – União da Vitória – 990
  • 7ª RS – Pato Branco – 1.690
  • 8ª RS – Francisco Beltrão – 2.570
  • 9ª RS – Foz do Iguaçu – 3.410
  • 10ª RS – Cascavel – 6.000
  • 11ª RS – Campo Mourão – 2.370
  • 12ª RS – Umuarama – 2.040
  • 13ª RS – Cianorte – 1.050
  • 14ª RS – Paranavaí – 2.130
  • 15ª RS – Maringá – 6.670
  • 16ª RS – Apucarana – 2.600
  • 17ª RS – Londrina – 8.920
  • 18ª RS – Cornélio Procópio – 1.590
  • 19ª RS – Jacarezinho – 2.150
  • 20ª RS – Toledo – 2.640
  • 21ª RS – Telêmaco Borba – 880
  • 22ª RS – Ivaiporã – 920
  • TOTAL – 86.500 
PUBLICIDADE

Recomendados