PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Centro de Equoterapia da PM já atendeu mais de 5 mil famílias

Cotidiano

10 de maio de 2021 15:15

Agência Estadual de Notícias


Relacionadas

Homem pode ter morrido após descarga elétrica de celular

Apostador ganha o prêmio de R$ 7 mi da Mega Sena

Paraná confirma mais 10.415 casos de covid neste domingo

Polícia flagra mais de 800 pessoas em aglomerações
Saúde distribui 7,6 milhões de doses da vacina da AstraZeneca
PR ultrapassa 5 milhões de doses aplicadas contra a Covid
Queiroga lamenta a morte de 500 mil brasileiros
Foto: SESP/PR
PUBLICIDADE

Centro aplica o uso de cavalos para o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com necessidades especiais.

O Centro de Equoterapia do Regimento de Polícia Montada (RPMon) da Polícia Militar do Paraná completa nesta segunda-feira (10) 30 anos de atendimento. O centro atua com ações para o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com necessidades especiais. Desde a criação do programa mais de 5 mil famílias já foram atendidas pelo serviço, a maioria jovens e crianças.

A Equoterapia é aplicada em complemento a outras terapias em casos de paralisia cerebral, Síndrome de Down, hiperatividade, TEA (Transtorno do Espectro Autismo), acidente vascular encefálico, entre outras síndromes.

A sessão com o cavalo auxilia também no caso de crianças com dificuldade de concentração e outros distúrbios de aprendizagem, contribuindo para o desenvolvimento da mente e do corpo através do trabalho motor, emocional e cognitivo. As pessoas recebem acompanhamento de profissionais das áreas de Educação Física, Pedagogia, Fisioterapia e Equitação gratuitamente.

O coordenador do Centro de Equoterapia, tenente João Eduardo Costa Vaz, diz que a interação do ser humano com o cavalo remonta a milênios. Companheiro nas batalhas, o cavalo continua a ser um importante aliado do homem, hoje voltado para as atividades de segurança pública em várias partes do mundo.

“Na Polícia Militar do Paraná, o uso de atividades com o animal ultrapassou o limite do policiamento preventivo e passou a ser aplicado como método terapêutico. É uma forma de terapia que valoriza a interação do homem com o cavalo”, afirma o tenente. “O Centro de Equoterapia explora esse recurso como uma forma de interação social e de apoio às famílias mais carentes, que possuem um familiar com algum tipo de necessidade especial”.

O coordenador explica que estudos científicos demonstram que a característica natural de andadura do cavalo transmite ao praticante movimentos tridimensionais, ou seja, em três eixos distintos para cima e para baixo, para um lado e para o outro e para frente e para trás, os quais são poderosos estímulos somatossensoriais, proprioceptivos e vestibulares. Destaca-se, ainda, a capacidade de interação social-emocional que o cavalo proporciona.

Segundo o tenente João Eduardo, as mais de 5 mil famílias atendidas constaram melhoras significativas nas pessoas em tratamento. "A equipe multidisciplinar do Centro é composta por policiais militares, que atuam de acordo com suas especialidades e possuem cursos de capacitação, como Curso Básico de Equoterapia, Curso Avançado de Equoterapia e Curso de Equitação Terapêutica”, destaca o tenente.


Como Participar

Para obter uma das vagas para atendimento do Centro de Equoterapia, as famílias devem procurar o Regimento de Polícia Montada, fazer um cadastro pelo telefone (41) 3315-2771 e aguardar na fila de espera para serem chamadas. 

O centro também auxilia pessoas com deficiência em situação de vulnerabilidade que, para comprovação de renda, devem apresentar o Cadastro Único (Cadúnico) do governo federal. Policiais e bombeiros militares e seus dependentes também podem receber atendimento.

PUBLICIDADE

Recomendados