PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Aluno comove escola ao pedir comida através de bilhete no PR

Cotidiano

17 de dezembro de 2021 10:05

Da Redação


Relacionadas

Balão com nove pessoas cai às margens de rodovia em SP

Homem é preso em PG acusado de tortura e estupro

Última parcela do IPVA das placas de finais 1 e 2 vence hoje

Ciclone no Sul do Brasil pode se tornar um furacão? Entenda
Frio será intenso a partir desta terça-feira em PG
Taxa de desocupados no Paraná tem o menor valor desde 2015
Após três anos, polícia prende Paulo Cupertino em São Paulo
Mari conta que ficou extremamente impactada pelo bilhete, assim que o leu. O mesmo aconteceu com seus amigos, a quem ela decidiu mandar o bilhete imediatamente e pedir ajuda. Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

“Estou sem nada para comer em casa, em imploro”, dizia o bilhete, que viralizou na internet e acabou ajudando outras 40 famílias da escola

“Professora, me ajuda, estou sem nada pra comer em casa, eu imploro pra senhora.” Esse bilhete chegou às mãos da pedagoga Mari de Col, que trabalha na Escola Estadual Curitiba, que fica em Paranavaí, no noroeste do Paraná. Ele foi escrito há três semanas por um aluno da escola, de 14 anos, que estava desesperado pela situação de sua família. Depois de ler a mensagem, Mari pediu ajuda a seus amigos. O que ela não esperava é que o bilhete ia viralizar na internet e acabar ajudando outras 40 famílias da escola.

Mari conta que ficou extremamente impactada pelo bilhete, assim que o leu. O mesmo aconteceu com seus amigos, a quem ela decidiu mandar o bilhete imediatamente e pedir ajuda. Eles se mobilizaram e a mensagem desesperada começou a circular pelas redes sociais. “Aí a internet fez o restante do trabalho”, brincou a professora. O resultado: a cidade toda mobilizou e passou a levar alimentos, produtos de limpeza, higiene e até presentes na escola.

E vendo que os colegas conseguiram ajuda, outras crianças passaram a pedir alimentos também. “Será que tem uma dessa (cesta de alimentos) pra minha casa também?”, começaram a perguntar frequentemente.

Periferia

Mari conta que a escola em que é pedagoga fica na periferia de Paranavaí, onde a maioria das crianças são bem carentes. Este aluno que pediu ajuda mora no Jardim Renascer com o pai e com outro irmão, de 12 anos, que também é aluno da escola. Eles estão, respectivamente, no 7.º e no 9.º anos do Ensino Fundamental e a família, diz Mari, já é acompanhada tanto pela escola, quanto pelo serviço social local, o CREAS.

Eles fazem visitas semanais à casa, para ver se está faltando algo, para dar orientação e ajudam até mesmo com faxina na residência. O pai está desempregado e sofre com alcoolismo. É uma família que já morou até em abrigo.

Neste dia que o adolescente pediu ajuda, Mari disse que consultou o CREAS, onde a família sempre pede alimentos e outras ajudas. E, de fato, não havia alimento para doação no local, naquele dia. Por isto, ela decidiu mobilizar sua roda de amizades. Com as doações, conseguiu até mesmo montar uma caixinha de produtos de higiene pessoal, já que devido à precariedade das famílias da região, é comum chegarem sujos à escola.

Agora, o desafio é conseguir um emprego para o pai, que trabalha como assistente de pedreiro e atualmente está sem serviço. “Se a gente conseguir ajudar essa família, pra saírem desse mundo que vivem, se tornar pessoas melhores, fazer esse pai se tornar mais parte da sociedade, será muito gratificante”, diz a pedagoga.

Mas ela ressalta que não adianta apenas doar. Todas as crianças e famílias nesta situação precisam de acompanhamento constante, para que tenham ajuda e apoio sempre que precisarem, até chegarem a uma situação melhor.

Também quer ajudar?

Mari diz que nada disso tem preço. “Felicidade é ver o outro feliz. Isso é evoluir como ser humano. Faz a gente agradecer por tudo o que a gente tem na vida”, finalizou ela.

Quem quiser ajudar com doações, pode levar alimentos, produtos de higiene e limpeza, roupas, sapatos e material escolar até a Escola Estadual Curitiba. Mas como já está perto do recesso de fim de ano, ligue antes à escola e confira o horário de funcionamento: (44) 3422-8234. As famílias dos estudantes continuarão precisando de ajuda no ano que vem.

Informações - Ricmais

PUBLICIDADE

Recomendados