PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Brasil é o 5º país mais buscado por imigrantes venezuelanos

Cotidiano

30 de abril de 2022 16:28

Da Redação


Relacionadas

Adolescente de 13 anos morre vítima de Covid-19 no Paraná

Arraiá sem enganação: Ipem-PR fiscaliza produtos

Milton Ribeiro diz ter recebido ligação de Bolsonaro

Jovem usa ferro em brasa para marcar 22 de Bolsonaro na pele
Ex-jogador Richarlyson assume bissexualidade
Motorista atropela cadeirante idoso no Paraná
Bolsonaro: aumento de Auxílio pode superar efeitos da crise
Imigrantes percorrem milhares de quilômetros em busca de vida melhor Foto: reprodução
PUBLICIDADE

De janeiro de 2017 a março de 2022, o Brasil recebeu 325.763 venezuelanos que permaneceram aqui.

Entre olhares desconfiados e cansados, crianças brincando e malas que se amontoam, filas se formam nas tendas da Operação Acolhida, com centenas de venezuelanos que ainda buscam no Brasil um local para recomeçar a vida. Na fronteira entre Santa Elena de Uairén e Pacaraima, cerca de 750 pessoas por dia, em média, atravessam para o lado brasileiro, carregando o que coube em malas e trazendo também expectativas: de encontrar parentes e amigos que já estão no país, de conseguir emprego e de uma nova vida.

Nas tendas da Operação Acolhida, criada em 2018, os atendimentos não param. Há guichês para pedidos de residência e refúgio, para emissão de documentos, como CPF e cartão SUS, para cadastro no sistema de emprego. Uma força-tarefa atua nesse primeiro contato do migrante com o Brasil para facilitar a entrada e interiorização dos venezuelanos.

O país é o quinto destino mais procurado por esses migrantes para viver. De janeiro de 2017 a março de 2022, o Brasil recebeu 325.763 venezuelanos que permaneceram aqui. Em primeiro lugar está a Colômbia, com 1.842.390 refugiados venezuelanos; seguida pelo Peru, com 1.286.464. Equador (513.903) e Chile (448.138) ocupam a terceira e quarta posição, respectivamente. Os dados são da plataforma R4V, que reúne informações do sistema das Nações Unidas e do governo brasileiro.

Da Agência Brasil. 

PUBLICIDADE

Recomendados