Jogos no celular: dos campos de futebol aos cassinos

Os smartphones foram ganhando seguidas atualizações e, atualmente, são como um pequeno videogame portátil que está sempre à mão do usuário

Com o vento a favor, o segmento dos jogos para celular não perdeu tempo e ampliou a oferta de títulos
Com o vento a favor, o segmento dos jogos para celular não perdeu tempo e ampliou a oferta de títulos -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Os smartphones foram ganhando seguidas atualizações e, atualmente, são como um pequeno videogame portátil que está sempre à mão do usuário

Houve um tempo no qual apenas os consoles e computadores eram capazes de simular a realidade e transportar os jogadores a outros universos. No entanto, os smartphones foram ganhando seguidas atualizações e, atualmente, são como um pequeno videogame portátil que está sempre à mão do usuário, além de contar com um imenso catálogo de títulos.

O mundo gamer sempre foi dominado pelos consoles e computadores. A disputa começou em 1972, com o lançamento do Magnavox Odyssey, o primeiro dispositivo que se conectava à televisão. Os PCs levavam uma década de vantagem, pois o primeiro jogo para esses aparelhos foi lançado em 1962. O jogo foi Spacewar!, um antecessor do clássico Space Invaders. Nos últimos cinquenta anos, as duas plataformas reinaram absolutas no mercado bilionário dos videogames.

O crescimento do celular como plataforma para jogar alcançou seu ponto mais alto em 2021, quando um estudo da Newzoo revelou que o mercado de jogos para dispositivos móveis movimentou 92,3 bilhões de dólares, ou seja, 52% do faturamento do setor. O crescimento não é à toa, no Brasil, por exemplo, existem mais smartphones que pessoas. São 242 milhões de dispositivos e 216 milhões de pessoas vivendo no país, e não existe distinção de idade, todos estão conectados.

Outros fatores que empurram os gamers para os celulares são temas econômicos. Os novos lançamentos de Sony e Microsoft, o PlayStation 5 e o Xbox Series X e S, respectivamente, têm valores altíssimos, isso devido à alta da inflação e do dólar, além da crise dos microchips e as dificuldades logísticas.

Com o vento a favor, o segmento dos jogos para celular não perdeu tempo e ampliou a oferta de títulos e a qualidade dos mesmos. Se antes os games estavam bem divididos, agora é possível encontrar uma infinidade de opções que transitam livremente entre todas as plataformas.

Com o vento a favor, o segmento dos jogos para celular não perdeu tempo e ampliou a oferta de títulos
Com o vento a favor, o segmento dos jogos para celular não perdeu tempo e ampliou a oferta de títulos |  Foto: images.unsplash.com/
  

Começando pelos clássicos. Os tradicionais jogos de cassino estão em alta no mundo dos smartphones. Esse gênero encontrou nos dispositivos móveis um novo público, que, por vezes, busca diversão de forma imediata, com títulos que ofereçam rodadas rápidas e pouco tempo de carga. É nesse segmento que um cassino online que tenha as modalidades mais tradicionais, como o blackjack, a roleta e as slots, ganham força. Além de contar com os modelos clássicos, os cassinos virtuais também dispõem de variantes interessantes. Esse é o caso das slots temáticas que trazem referências do mundo da televisão, como Narcos, famosa série da Netflix, e Hell 's Kitchen, reality show do estrelado chef Gordon Ramsay.

A atenção especial dada aos celulares também pode ser observada em jogos consolidados dos consoles que estão completamente adaptados ao mobile. O FIFA, famoso simulador de futebol, por exemplo, é uma das franquias mais rentáveis e com trânsito livre entre PC e videogames e também está presente nos smartphones. Desde 2016, a EA disponibiliza o jogo para celulares. No início, as primeiras versões não eram de todo funcionais, no entanto, as mais recentes conseguem oferecer partidas de futebol em alto nível.

Outras franquias que estão seguindo esse mesmo caminho são Call of Duty e Need for Speed, já que todos esses clássicos dos videogames estão disponíveis nas lojas de aplicativo. Do lado do PC, Minecraft, PlayerUnknown's Battlegrounds (PUG) e League of Legends também passaram a versões mais enxutas, porém, sem perder o brilho para conquistar os jogadores que estão no mobile.

Não cabe dúvida, a popularidade dos dispositivos móveis e suas seguidas melhorias de processamento são fatores que atraem cada vez mais pessoas para essa plataforma. É preciso destacar que o aumento de usuários também alterou o perfil dos jogadores, que antes era formado por um público majoritariamente masculino e, agora, as mulheres são maioria. O celular foi o único que rompeu a polaridade de consoles e computadores, para estabelecer-se como o novo foco dos videogames.