Bar 'Caixaça Econômica' faz sucesso, mas banco notifica estabelecimento

Caixa Econômica Federal não gostou e notificou o local pedindo a mudança do nome

Toda a identidade visual se aproveitou da cor da antiga loja, que já tinha as paredes pintadas de azul
Toda a identidade visual se aproveitou da cor da antiga loja, que já tinha as paredes pintadas de azul -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Uma distribuidora de bebidas localizada no bairro Nova Rosa da Penha, em Cariacica (ES), está chamando a atenção nas redes sociais por causa de seu nome considerado, no mínimo, curioso: 'Caixaça Econômica'. Quem não gostou nada da ideia foi a própria Caixa Econômica Federal, que notificou o dono sobre o uso da identidade visual.

O empresário por trás da ideia é Adilson Ramos, de 28 anos. Ele contou ao Terra que o local costumava abrigar uma loja de utensílios domésticos, que não deu muito certo. Então, ele decidiu mudar de ramo e investir no setor de bebidas – área em que já teve experiência com outros dois comércios chamados "Bar do Bill".

O batismo inusitado aconteceu pouco tempo depois, com uma ideia repentina que teve enquanto estava conversando com a esposa, que é sua sócia. "A gente queria um nome que se alinhasse com o ramo, mas que fosse diferente. Não pensava em repercutir nacionalmente, mas queria que fosse um nome que atraísse o povo de nossa região", explica o empresário.

Toda a identidade visual se aproveitou da cor da antiga loja, que já tinha as paredes pintadas de azul. A placa, no entanto, usa a mesma fonte do banco, inclusive com o 'X' característico com uma faixa laranja. "Não pensei que poderia dar problema com o banco, por ser uma cidade pequena. Não achei que iriam ficar sabendo", diz.

Repercussão na internet

Foi tudo muito rápido. Cerca de cinco dias depois da abertura do estabelecimento, o usuário Werbeth Luis estava passeando pela cidade procurando por um banco, quando se confundiu com o comércio e decidiu gravar um vídeo para sua conta no Tiktok. A publicação logo viralizou, e já acumula 2,5 milhões de visualizações até o momento.

Com a repercussão, muitos outros turistas e moradores passam pelo local todos os dias para tirar fotos, gravar vídeos e repercutir nas redes sociais. Até mesmo Adilson decidiu investir criando um perfil para o estabelecimento, o @caixacaeconomica.

O banco não gostou nada disso. Pouquíssimos dias depois da instalação da placa, um agente da própria Caixa Econômica Federal bateu na porta do estabelecimento declarando a posição contrária do banco sobre a "brincadeira". 

Em nota enviada ao Terra, o banco confirmou que notificou o empresário sobre a titularidade da identidade visual. Veja abaixo a nota na íntegra:

"A Caixa informa que já encaminhou notificação para a retirada imediata das marcas do banco de qualquer anúncio publicitário, ação promocional, fachada ou referência visual na internet. A Caixa é a titular exclusiva dos direitos de utilização das marcas institucionais e de produtos e serviços, sob o amparo da Lei n° 9279/96, Art.129 e Art.130. O banco esclarece que a utilização indevida de marcas constitui crime contra a propriedade intelectual, tipificado na referida lei ainda pelo art.189, inciso I, cuja pena prevista é de 3 meses a 1 ano de detenção, ou multa".

"O jeito é trocar"

Para tentar driblar a notificação da Caixa, o empresário explica que irá manter grande parte da identidade construída, mas substituirá o "X" por "CH" e abandonará a listra laranja da letra. Mesmo assim, ele defende sua ideia e argumenta que o banco não perdeu nada com a repercussão de seu bar. 

"O mundo gira em torno da internet. Foram mais de 2,5 milhões de visualizações, para conseguir isso nos dias de hoje é muito caro. Eles tiveram de graça", argumenta. Ramos defende, ainda, que o banco poderia ter feito "vista grossa" para o uso da fonte e do nome, mas entende que o banco tem o direito de reclamar e exigir a mudança.

Pelo menos, com a repercussão inicial, ele desenvolveu uma cachaça especial e abriu o comércio para vendas online, tentando se aproximar do público conquistado na internet. "Eu desenvolvi uma cachaça com o nome, feita com raízes. A ideia é vender pela internet", afirma.

Informações do Terra

Conteúdo de marca

Quero divulgar right