PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Uso do ‘Kit-covid’ é aprovado pela Câmara de PG

Ponta Grossa

19 de abril de 2021 16:40

Rodolpho Bowens


Relacionadas

'Pancadão, algazarra e gritaria' mobiliza a polícia em PG

Boletim da Covid traz 219 novos casos em PG

Jovens mortos na PR-151 são identificados

Dois jovens de PG morrem em acidente de moto
Arautos do Evangelho homenageiam enfermagem
UPA Santa Paula não tem insumos para atender covid
Carro é atingido por trem na entrada da Vila Borato
Maioria dos vereadores aprovaram o PL nesta segunda-feira (19). Foto: Luiz Lacerda/CMPG
PUBLICIDADE

Agora, o projeto de lei segue para sanção ou veto da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa

A Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) aprovou em segunda discussão, na tarde desta segunda-feira (19), o Projeto de Lei (PL) 035/2021, o qual fala sobre a distribuição de medicamentos no chamado ‘kit-covid’ para um possível tratamento precoce do coronavírus. Com a aprovação, o PL segue para publicação ou veto da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG). Na semana passada, os parlamentares já haviam sido favoráveis a proposta, com 12 votos a favor e cinco contra.

Durante as discussões, os vereadores puderam expor as suas ideias, bem como defender ou contrariar o projeto de lei. Segundo Geraldo Stocco Filho (PSB), a proposta é vendida “como ilusão. É um projeto irresponsável”, disse na ‘Sessão Ordinária’. Ele também lembrou que os médicos já têm autonomia para prescrever os remédios para os pacientes.

Por outro lado, o parlamentar Leandro Bianco (Republicanos), um dos autores do PL, comentou que “precisamos dar esperança para as pessoas. Não estamos negando a doença... Para que as pessoas tenham uma oportunidade à vida”, enfatizou, ao criticar a mídia brasileira, afirmando ela ser “suja”.

Por fim, o vereador Erick Camargo (PSDB), conhecido como ‘Dr. Erick’ e que não esteve presente na primeira discussão, afirmou que os médicos já têm autonomia na prescrição de medicamentos e defendeu que “até que ponto a Legislatura deve interferir na Ciência. Se algo deve ser feito, é a Secretaria de Saúde, não a Câmara de Ponta Grossa”, explicou o parlamentar, que tem o receio de as pessoas chegarem com a Lei em mãos, caso seja publicada e exijam que elas tomem os remédios.

PUBLICIDADE

Recomendados