PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Novas regras podem aquecer mercado imobiliário em PG

Ponta Grossa

21 de agosto de 2019 13:31

Da Redação


Relacionadas

PG se aproxima da marca de 23 mil casos de covid

Empresário recebe fiscalização e faz desabafo

Audiência Pública sobre novo modelo de pedágio é adiada

CRAS passam a atender por telefone e horário diferenciado
Defesa Civil interdita quadras esportivas no Município
Prefeitura de PG acompanha final de gestão do CDEPG
Motociclista fica gravemente ferido após batida na Ronda
As novas regras anunciadas pelo Governo Federal na tarde da terça-feira (20), que atrela as taxas de juros dos financiamentos ao IPCA, poderão aquecer o mercado de imóveis em Ponta Grossa e região Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Governo anunciou alteração nos juros dos financiamentos

As novas regras anunciadas pelo Governo Federal na tarde da terça-feira (20), que atrela as taxas de juros dos financiamentos ao IPCA, poderão aquecer o mercado de imóveis em Ponta Grossa e região. Pelo menos é o que esperam os diretores da Associação Paranaense de Construtores (APC).

Para Gabriel Stallbaum, presidente da entidade, esse novo modelo de financiamento dará maior fôlego ao mercado de imóveis acima de R$ 200 mil, voltado a famílias com renda a partir de R$ 4 mil mensais. “Deverá acontecer um aumento nos negócios de imóveis fora do [programa] Minha Casa, Minha Vida. O consumidor terá a possibilidade de escolha, favorecendo que muitas pessoas possam abandonar o aluguel e comprar sua residência. Ou mesmo para investimento”, explica.

Isso acontece porque, de acordo com o novo sistema, os financiamentos serão baseados na variação da inflação e não mais pela Taxa Referencial (TR), criada em 1991 como alternativa à hiperinflação e que também serve de referência para a poupança e para o FGTS.  Dessa forma, as instituições financeiras poderão fixar taxas de juros mais baixas usando a variação mensal da inflação para os ajustes. Além disso, negociar os papéis das dívidas, reduzindo o custo dos financiamentos e aumentando a oferta de capital porque a variação pelo IPCA é mais interessante aos investidores que a TR. “Em um cenário de inflação controlada é muito interessante porque fica mais barato emprestar dinheiro. Mas claro, há o risco caso haja um aumento da inflação e isso deve ser considerado”, ressalta Gabriel.

Na opinião do vice-presidente da APC, Fabiano Gravena Carlin, esse é um momento importante porque marca a primeira de algumas medidas que devem fomentar do setor, o que anima os construtores dos Campos Gerais. “Vai aquecer o mercado. O governo já anunciou que está preparando um novo Minha Casa, Minha Vida, que é o sistema que a maioria dos pequenos construtores trabalha. Temos uma expectativa bem positiva para os próximos meses em relação ao retorno dos investimentos, o que reflete diretamente na economia local”, finaliza.

Informações: Assessoria de comunicação 

PUBLICIDADE

Recomendados