PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Homem morto pela PM chefiava o PCC no Paraná

Ponta Grossa

02 de maio de 2022 15:29

Da Redação


Siga o a rede no Google News

Relacionadas

Polícia Civil prende três pessoas associadas ao tráfico em PG

PG lança nova rota de cicloturismo no domingo

Novo teto salarial do Mercado Família entra em vigor

Casa do Acolhimento abre para pessoas em situação de rua
PR reduz ICMS sobre gasolina e energia para 18%
Agência do Trabalhador abre 60 novas vagas nesta sexta
PG inicia vacinação de 4ª dose para 40+ na próxima semana
Willian Ferreira da Silva foi morto na manhã dessa segunda-feira (2), durante confronto com o 1º BPM Foto: Reprodução/site Paraná Central
PUBLICIDADE

Willian Ferreira da Silva, de 29 anos, é apontado pelo Departamento de Polícia Penal do Paraná como integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC)

 

As autoridades de Ponta Grossa identificaram o homem morto em um confronto com a Polícia Militar, na manhã desta segunda-feira (02), no Condomínio Real 4, na região do Núcleo Rio Verde. Willian Ferreira da Silva, de 29 anos, é apontado pelo Departamento de Polícia Penal do Paraná como integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC) – considerada uma das facções mais perigosas do Brasil. Na escala de periculosidade, de 1 a 5, ele está em 4º. Seus apelidos são Bandoleiro, Grego, Quebra ou Toreto. Ele já esteve preso na Penitenciária Estadual de Ponta Grossa.

Assista à live sobre a ocorrência

De acordo com nota divulgada pelo Comando do 1º BPM, sobre a ação ocorrida no Condomínio Real, os policiais militares realizavam a verificação de um cumprimento de mandado judicial, por volta das 7h30 da manhã, quando houve a morte. “Durante a tentativa de abordagem, a equipe foi recebida por um masculino de 29 anos, que portava uma arma de fogo, vindo a dispará-la contra os militares, havendo então um confronto, no qual o cidadão foi alvejado. Foi acionado o socorro médico, porém o indivíduo não resistiu e veio a óbito", diz o comunicado do 1º BPM.

Willian, segundo fontes ligadas à área de segurança, participou do ataque à empresa de transporte de valores, em Guarapuava, na noite de 17 de maio e madrugada de 18 de maio, com mais 33 criminosos.  A ação dos marginais começou por volta de 22h30. Eles incendiaram dois caminhões para bloquear as saídas do 16º Batalhão. Eles também atiraram contra a unidade policial e também contra uma viatura. Um dos policiais foi baleado na perna, enquanto o cabo Ricieri Chagas levou um tiro na cabeça e morreu posteriormente no hospital. 

Se o envolvimento de Willian for confirmado no ataque em Guarapuava, ele será o segundo integrante da quadrilha morto pela PM. Na semana passada, Robson da Luz Tavares, conhecido como ‘Monstrinho’, morreu em confronto ocorrido na Rua José Batistelli Filho, no bairro na Vila Bela. No local da ocorrência foi apreendido um fuzil.

 

PM apreende muitas armas na sequência da operação

A Polícia Militar (PM) de Ponta Grossa grande quantidade de armas, na manhã desta segunda-feira (2), em continuidade à operação iniciada no Condomínio Real, na região do Rio Verde, quando houve um confronto armado com o resultado de morte. Nesta casa, um rapaz foi preso. Essa segunda operação aconteceu na região do Distrito de Guaragi, em Ponta Grossa. A PM também esteve na cidade de Palmeira. Além das armas, policiais militares anteciparam que foram apreendidos também rádios transmissores, celulares, munição, dinheiro e drogas. As armas apreendidas serão periciadas. As escopetas podem ter sido usadas no ataque em Guarapuava e em roubos em Ponta Grossa.

PUBLICIDADE

Recomendados