PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Enfermagem luta por piso salarial e jornada de trabalho

Ponta Grossa

15 de julho de 2021 22:08

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Plauto Miró reúne lideranças em PG para prestar contas

Beto Richa avalia cenário e admite possível candidatura

Ponta Grossa marca presença no Festival das Cataratas

Autor de atentado na Mesquita Imam Ali é preso em PG
Parceria com o Judiciário regularizará 5 mil lotes em PG
'Médicos de Rua' atende pessoas carentes em PG
PRF apreende grande quantidade de droga em PG
Rúbia Karine Marchinski, coordenadora do 'Gigantes da Enfermagem' de PG. Foto: Rodolpho Bowens/aRede
PUBLICIDADE

Profissionais buscam melhores condições de trabalho, o que reflete, diretamente, no atendimento para a comunidade

Melhores condições de trabalho, reconhecimento da profissão e o aumento na qualidade dos serviços prestados para a comunidade. Essa é a reivindicação que os profissionais da enfermagem estão fazendo, principalmente pela aprovação do Projeto de Lei (PL) 2.564/2020, de autoria do senador Fabiano Contarato (REDE). A proposta, que tramita no Senado Federal, traz um piso salarial para a classe, além de uma jornada de trabalho de 30h. Sobre o tema, a coordenadora do ‘Gigantes da Enfermagem’ de Ponta Grossa, Rúbia Karine Marchinski, conversou com o Portal aRede nesta quinta-feira (15) – assista a entrevista na íntegra clicando aqui.

Durante o bate-papo, Rúbia explicou como tem sido a mobilização dos profissionais na cidade ponta-grossense. “Primeiramente, fazemos a conscientização da valorização do profissional. Sabemos da importância e do seu papel na sociedade”, relatou, ao citar que há um “empoderamento” das pessoas que trabalham na área. Recentemente, manifestações aconteceram na cidade de Ponta Grossa, todas buscando aumentar a visibilidade do movimento. “Tenho ido na Câmara Municipal (CMPG) e colocado toda a situação de nossos profissionais, para que eles sejam conhecedores do movimento, da nossa causa e sejam sensíveis. Toda ajuda é bem-vinda”, comentou.

Caso o PL 2.564/2020 seja aprovado, Rúbia reforça que toda a sociedade será beneficiada. “Qual usuário não quer ter assistência 100%? Hoje, fazemos assistência extremamente carregados e não conseguimos dar o nosso 100%. Não temos valorização por parte de nossas instituições, não temos piso salarial. Profissionais sobrecarregados e chegando no ápice do limite”, conclui Rúbia, que ressalta que a “enfermagem não vai desistir” até que o projeto de lei seja aprovado no Senado.

Ida a Brasília

Em 17 de agosto, vários grupos que representam os profissionais da enfermagem irão até Brasília para pedir a aprovação do PL 2.564/2020. A 2ª Marcha da Enfermagem Rumo ao Congresso Nacional deverá contar com a participação de grupos dos estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro. Além do ‘Gigantes da Enfermagem’, outros grupos deverão participar da manifestação em prol da profissão: - LGBTQIA+ Enfermagem; Movimento dos Ativistas da Enfermagem Brasileira; Soldados da Enfermagem; União Nacional da Enfermagem; e Fórum Movimentos da Enfermagem. “Políticos precisam entender nossa realidade, serem sensíveis à nossa luta, nossa causa”, disse Rúbia.


Assuntos semelhantes:

Profissionais da Enfermagem irão a Brasília por melhorias.

Aliel defende piso salarial e jornada de 30h na enfermagem.

Profissionais da enfermagem realizam manifesto em PG.

PUBLICIDADE

Recomendados