Verão exige cuidados especiais com o corpo

RC Bem Estar

12 de janeiro de 2021 11:00

Da Redação


Relacionadas

Verão exige cuidados especiais com o corpo

Verão: calor e desidratação podem gerar pedras nos rins

Hidratação: mantenha a saúde no verão

Colágeno: proteína pode recuperar beleza da pele
Empresária lança livro com histórias inspiradoras
Especialista explica como recuperar cabelo ressecado
Uso de celular com cabeça inclinada pode lesionar cervical
Durante os dias de calor intenso é importante ficar atento à alimentação, hidratação, exposição ao sol e prática de atividades físicas. Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Especialistas em nutrição e educação física dão dicas para quem curte o calor manter a saúde em dia

A pandemia adiou planos de viagens, alterou roteiros de férias e vai exigir cuidados redobrados neste fim de ano, mas há algo que o novo Coronavírus não terá como mudar: a temporada de verão e a expectativa das famílias em aproveitar os dias de sol ao ar livre.

Além das medidas habituais para evitar a Covid-19 (distanciamento social, uso de máscaras, de álcool em gel e o cumprimento de decretos com regras restritivas que podem variar de acordo com cada município), a chegada do calor requer outros cuidados com a saúde. Durante os dias de calor intenso é importante ficar atento à alimentação, hidratação, exposição ao sol e prática de atividades físicas.

Mestre em alimentação e nutrição, a coordenadora dos cursos de Saúde do UNICURITIBA, professora Maria Fernanda Koch Temporal, diz que a principal dica no verão é consumir alimentos leves e frescos como verduras cruas, frutas e manter a hidratação. “A estação pede sucos de frutas, que são excelentes opções e podem ser incluídos no lanche da manhã e da tarde. A alimentação deve ser leve e equilibrada, rica em nutrientes que estão presentes nas comidas in natura”, ensina.

Sem exageros

Quem nunca cometeu o pecado da gula no fim de ano que atire a primeira pedra. Mesmo com a tradição familiar das confraternizações e a mesa farta, o ideal é não ceder à tentação. “O consumo de alimentos neste período de calor deve ser moderado. Não precisa deixar de comer nada do que for servido, mas o segredo está no equilíbrio”, diz a especialista.

Ainda assim, para aqueles que costumam exagerar neste período de férias, Maria Fernanda tem um conselho: “A dica é restringir os alimentos com alta densidade calórica como os doces, gorduras e bebidas alcoólicas. Aposte nas frutas e verduras”.

Embora os coquetéis sejam a moda deste verão - mesmo para quem está de férias em casa - as bebidas alcoólicas são um capítulo à parte. O consumo deve ser feito com moderação sempre, “mas quem exagerar um pouco deve aumentar o consumo de água nos dias subsequentes e a ingestão de frutas e sucos naturais”, continua a professora do UNICURITIBA.

Hidratação

O organismo humano é formado por 70% de água e não é difícil imaginar como a desidratação pode comprometer os processos bioquímicos do corpo e suas funções vitais.

“Seja qual for a estação do ano, tenha sol ou não, nossas células e sistemas precisam de água para funcionar bem. No verão essa necessidade aumenta e principalmente durante as atividades físicas, a indicação é ter sempre uma garrafinha de água por perto”, recomenda a doutora em educação física, Birgit Keller Marsili, professora dos cursos de Biomedicina, Fisioterapia, Nutrição e Psicologia do UNICURITIBA.

De acordo com a mestre em nutrição Maria Fernanda Koch Temporal, o primeiro sinal de desidratação é a sede – uma prova de que a ingestão de água está inadequada. “O recomendado é consumir pelo menos 30 ml de água por quilo de peso corporal por dia, garantindo que o corpo receba a quantidade de líquido e nutrientes necessários para desenvolver todas as suas funções.”

A preferência, ensina ela, é pela água fervida ou filtrada, água de coco natural ou suco natural de frutas. Bebidas industrializadas como sucos de caixinha, de pacotinho ou refrigerantes devem ser evitados.

Atividade física

O verão pede atividade ao ar livre, mas ainda assim é preciso seguir algumas regras em função da pandemia. No caso de exercícios físicos, mesmo que não sejam em academias, a prática em locais abertos também deve respeitar regras de distanciamento e uso de máscaras.

“As máscaras podem aumentar a sensação de calor e provocar mais sede. Então, a recomendação é caprichar na hidratação. Se puder, escolha máscaras de tecido de algodão, que ajudam na transpiração e melhoram um pouco a sensação de abafamento, mas não abra mão da sua segurança. Precisamos estar protegidos contra o Coronavírus”, reforça Birgit.

Sobre o melhor horário para a prática de esportes e exercícios, a doutora em educação física diz que essa é uma escolha particular. “Algumas pessoas preferem fazer atividades logo cedo e depois ficam mais dispostas para encarar o dia. Outras têm preferência pela tarde ou noite. O melhor horário é aquele que você mais gosta e se sente bem”, afirma.

Exposição ao sol e cuidados com a pele

O que não pode faltar no verão é a proteção contra os raios ultravioleta e, outra vez, água sempre fresca para hidratar. “O sol tem o poder de envelhecer as nossas células, além dos riscos de queimadura e câncer de pele. Por isso, a recomendação é evitar a exposição no horário entre 11h e 15h, reaplicar o protetor solar de tempos em tempos, usar boné, óculos de sol, chapéu e guarda-sol”, continua a professora.

Quanto às mudanças bruscas de temperatura – ou choques térmicos – após as atividades físicas, calor intenso ou exposição ao sol, Birgit diz que não custa ouvir os conselhos dos avós. “Esse tema é controverso porque sabemos, inclusive, que atletas utilizam banheiras com gelo para a recuperação mais rápida de lesões, mas no dia a dia não precisamos nos expor a choques térmicos e podemos fazer essa transição de temperatura de forma gradual”, comenta.

A dica é: depois de uma atividade física intensa ou exposição prolongada ao sol, antes de entrar na piscina ou no mar, por exemplo, molhe primeiro os pés, a nuca, os pulsos e só depois mergulhe na água gelada.

Informações Assessoria de Imprensa

PUBLICIDADE

Recomendados